Como joga a Atalanta de Gasperini

Logo: Meumadrid

Meumadrid

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fmeumadrid.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F02%2FComo-joga-a-Atalanta.png&q=25&w=1080

ADVERSÁRIO DO REAL MADRD NA CHAMPIONS, COMO JOGA A ATALANTA DE GASPERINI?

Nesta quarta-feira (24), o Real Madrid viaja até Bérgamo para enfrentar a Atalanta pela partida de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões. Analisamos como joga a Atalanta de Gasperini e quais seus pontos fortes.

O time de Bérgamo sempre foi uma equipe de meio de tabela dentro do futebol italiano, conseguindo bons momentos ao longo de sua história – como a conquista da Coppa Italia de 1963 – mas sempre alternando entre a primeira e a segunda divisão. Entretando, as coisas mudaram com a chegada de Gasperini.

Vamos encontrar uma equipe muito bem treinada, com bom entrosamento e que deve trazer bastante perigo durante os 180 minutos da eliminatória.

O que faz da Dea – apelido pelo qual é conhecida a Atalanta – um rival tão intrigante?

Quando Gian Piero Gasperini assumiu o comando técnico do clube em 2016, esse cenário começou a ser modificado. A equipe se estabeleceu na primeira parte da tabela e posteriormente alcançou uma vaga na Liga Europa e finalmente na Liga dos Campeões.

A Atalanta estreou na UCL na temporada passada e fez bonito, chegando as quartas de final e caindo para o PSG, depois de um jogo duro, onde vencia até os 35 da segunda etapa.

Aspectos táticos da Atalanta de Gasperini

O futebol mundial vive de tendências e reutilização de ideias táticas. Em termos de estruturação coletiva e bases de jogo, o que temos com maior aceitação no futebol de hoje, são equipes que se posicionam por setores, marcando por zona e tendo como referência qual é sua posição dentro de campo. Entretanto, a Dea é diferente nesse sentido, sendo uma equipe que atua com referências individuais.

O que estou dizendo com isso? É cada vez mais comum vermos em análises, discussões de bar e etc, números para desenhar o sistema de jogo das equipes 4-4-2, 4-3-3, 3-5-2 e por aí vai. Porém, na Atalanta não encontramos total correspondência disso na prática, pelo modo como a equipe se defende.

Não existem zonas de marcação, existem atribuições individuais. Com isso, Gasperini trabalha com seus atletas marcações de homem a homem, não importando qual a altura do campo seus jogadores estejam.

Vamos imaginar um pequeno exemplo, usando os jogadores do Real Madrid. Se Zidane optar pela equipe no 4-3-3 na quarta-feira, com Casemiro, Modric e Kroos; Vinicius, Asensio e Benzema. Gasperini vai atribuir a cada jogador de sua equipe, vigiar de perto cada um desses homens, pegando como base o time da Atalanta que venceu o Napoli por 4 a 2 na última rodada do Calcio, ele poderia colocar Tolói no Vinicius, Romero no Benzema, Djimsiti no Asensio, Freuler no Modric, De Roon no Kroos e Pessina no Casemiro.

Não importa onde os jogadores do Real Madrid estejam no campo no duelo, os jogadores da Atalanta estarão por perto. Mesmo que essa movimentação represente uma perseguição muito longa, fazendo os italianos, consequentemente, se afastarem de sua posição de origem.

Compreendendo isso, podemos dizer que a Atalanta atua no 3-5-2. Todavia, isso serve apenas como referência, uma vez que na prática os jogadores seguem outro tipo de atribuição.

Além dessa particularidade, o que mais podemos destacar dessa equipe?

Um time que gosta de controlar a posse de bola, que sempre opta por zagueiros com boa qualidade no passe, que busca construir de maneira apoiada – sempre oferecer opções de passe a um companheiro, formando triangulações nos setores, trabalhando com volume na posse de bola e construindo um jogo mais fluído – e que tem enorme liberdade de movimentação no momento com bola.

Costuma ser uma equipe com um perde e pressiona muito ajustado. Com seu modo de marcar, abre buracos no campo, exigindo rápida recuperação efetiva da bola.

Outro ponto importante é entender que a Atalanta tem variação, capacidade de surpreender, sendo uma equipe que também consegue fechar suas linhas, usar a ligação direta e punir com poucos toques na bola. Demanda atenção da defesa.

Destaques individuais

Cristian Romero

O zagueiro argentino Cristian Romero se encaixou muito bem na equipe, oferecendo velocidade, concentração, bom tempo de bola e ótimos passes. Normalmente fica responsável pelo 9 rival, sendo muito provável que acompanhe Benzema por toda a partida. É muito forte na bola parada ofensiva.

Os dois alas da equipe, Gosens e Maehle, são peças fundamentais no sistema ofensivo do Gasperini. São os responsáveis por alargar o campo e empregar velocidade nas transições. Além disso, aparecem muito na área para finalizar. Gosens tem 8 gols e 6 assistências na atual temporada.

Os dois volantes, Freuler e De Roon, são o coração dessa equipe, combinando força física, inteligência defensiva e bom trabalho com a bola nos pés. Um bom resultado para o Real Madrid, passa por conseguir tirá-los do jogo, minando a confiança da Atalanta.

Com a saída de Papu Gomez, Ilicic se transformou no grande craque da equipe, sendo o jogador capaz do diferente, de tirar da cartola momentos geniais.

Os dois colombianos Zapata e Muriel têm um poder de fogo impressionante. Zapata com sua força física, explosão e capacidade no pivô. É um alvo muito importante para o jogo direto da Atalanta, que é bastante efetivo. Já Muriel tem mais velocidade e capacidade de drible, mesmo vindo do banco em muitas oportunidades, já soma 17 gols e 7 assistências na temporada.