Fifa amplia a exceção e jogadores estrangeiros de clubes russos ou ucranianos poderão suspender seus contratos também para 2022/23 | OneFootball

Fifa amplia a exceção e jogadores estrangeiros de clubes russos ou ucranianos poderão suspender seus contratos também para 2022/23

Logo: Trivela

Trivela

A Fifa estendeu as exceções contratuais garantidas a jogadores e treinadores estrangeiros vinculados a clubes da Rússia e da Ucrânia. Com isso, os atletas poderão suspender seus contratos unilateralmente e não precisarão cumprir as obrigações de seus vínculos para a temporada 2022/23, assim como aconteceu nos últimos meses de 2021/22. A decisão foi tomada pelo Conselho da Fifa, em reunião realizada nesta semana, e amplia as alterações aprovadas em março de 2022 – quando foram garantidas as seguranças jurídicas para autorizar as transferências desses futebolistas de maneira independente.

Tal exceção oferecida pela Fifa permite a jogadores e treinadores estrangeiros em atividade por clubes russos ou ucranianos que suspendam seus contratos durante toda a próxima temporada. A não ser que exista um acordo com os clubes até 30 de junho de 2022, os futebolistas e técnicos estão livres para buscarem novas equipes através da suspensão de seus contratos até 30 de junho de 2023. Assim, ninguém fica obrigado a permanecer nos dois países em guerra durante os próximos meses.

A suspensão dos contratos já tinha sido permitida pela Fifa em março. A diferença é que, na época, a entidade abriu uma janela de transferências temporária para esses futebolistas. Eles ganharam permissão para deixar seus times na Rússia ou na Ucrânia. Enquanto isso, as equipes interessadas poderiam adicionar no máximo dois reforços vindos de ambos os países neste período excepcional. Agora, tal rompimento funciona dentro da janela de transferências até o final de agosto, sem limitações.

“Estas disposições dão aos jogadores e treinadores a oportunidade de treinar, jogar e receber um salário, enquanto protegem os clubes ucranianos, e facilitam a saída de jogadores e treinadores estrangeiros da Rússia”, pontua a Fifa, em sua nota oficial.

Durante os últimos meses, houve uma saída massiva de atletas e técnicos da Rússia, em discordância com a invasão. Vale lembrar que os clubes russos não disputarão as competições continentais em 2022/23, o que pode oferecer outro motivo para que esses jogadores saiam do país. Enquanto isso, com a paralisação do Campeonato Ucraniano, muitos jogadores fugiram e preferiram manter as atividades em outras ligas, com a situação financeira dos times locais comprometida.

A Fifa também reitera que os menores de idade que fugiram da Ucrânia ao lado dos pais poderão reiniciar suas carreiras em outros países sem empecilhos. Na condição de refugiados, eles se isentam da regra que proíbe transferências internacionais de atletas menores de 18 anos. Alguns clubes formadores passaram a fomentar a acolhida destes adolescentes e auxiliá-los em suas fugas da Ucrânia.

“A Fifa continuará monitorando de perto a situação na Ucrânia para garantir que a estrutura regulatória esteja adaptada de acordo com quaisquer novos desenvolvimentos. A Fifa também continua condenando o uso contínuo da força pela Rússia na Ucrânia e pede um rápido cessar-fogo e o retorno à paz”, conclui a nota.

Mencionados neste artigo

Saiba mais sobre o veículo