Parte da venda de Gerson será revestida para quitar a compra do próprio volante; Fla ainda tinha débitos com a Roma

Logo: Coluna do Fla

Coluna do Fla

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fcolunadofla.com%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F03%2Fgerson-treino.png&q=25&w=1080

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Na última quarta-feira (09), o Flamengo anunciou a venda de Gerson para o Olympique de Marselha, da França, por 25 milhões de euros. No entanto, nem toda a receita irá para os cofres do Mais Querido. Isso porque, o Clube da Gávea ainda tinha valores em aberto a pagar pelo jogador.

De acordo com o último demonstrativo financeiro do Rubro-Negro, ao final do primeiro trimestre de 2021, entre débitos pendentes com a Roma, comissões e luvas, o Fla ainda desembolsaria mais de R$ 15 milhões para quitar a ‘operação Gerson‘. Afinal, a contratação, realizada em 2019, ainda tinha pagamentos programados

Por certo, a maior parte de tal montante (R$ 13,37 milhões) deve ser paga ao clube italiano, pela compra dos direitos do meio-campista. Sacramentado em 2019, o negócio envolvendo o atleta com o Mengo foi de 10 milhões de euros, quantia que foi parcelada.

Em síntese, todos os outros valores a serem quitados são referentes a custos de comissão e luvas fechadas também no momento de assinatura do contrato. Conforme informado primeiramente pela “ESPN”, a maior dívida do Fla em relação a este quesito era com a empresa “Brazil Football Ltda”, do empresário Flávio Simões Brissant. Pouco mais de R$ 2 milhões é a quantia, que além de Gerson, também inclui o acerto por Everton Ribeiro, que veio do Al-Ahli.



Saiba mais sobre o veículo