Seleção sofre a primeira derrota na She Belives

Logo: Deus me Dibre

Deus me Dibre

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fdeusmedibre.com.br%2Fdeusmedibre%2Fwp-content%2Fuploads%2F2021%2F02%2F50959056641_84a28222a3_c.jpg&q=25&w=1080

FOTO: SAM ROBLES/CBF

No segundo jogo da She Belives, torneio preparatória para as olimpíadas, a Seleção Brasileira foi derrotada pelos Estados Unidos, por 2 x 0. As atuais campeãs do Mundo e anfitriãs da competição marcou no início da competição com Cristian Press e no fim, com a veterana Megan Rapnoe. 

As americanas seguiram o script que já é tradicional e pressionaram as brasileiras no início da partida, conseguindo um gol logo no início do jogo. A equipe de Pia Sundhage chegou a ter chances de empatar e até virar a partida, mas falhou nas conclusões. Debinha, que vem sendo um dos principais nomes da era Pia, desperdiçou oportunidades e cometeu erros que não lhe são costumeiros. Ai fim do jogo, Rapnoe sacramentou a derrota das brasileiras.

Se a competição é um preparatório para as olimpíadas de Tóquio, as laterais ficam como principal alerta para a técnica da Seleção. Tamires, apesar de se sair bem, não vem jogando na posição correta e pela direita o problema é ainda maior. Faltam laterais de origem, que consigam acompanhar o ritmo da equipe e principalmente das atletas adversárias, principalmente quando elas tem um nível técnico superior, como é o caso das Americanas.

Por outro lado, o destaque vai para Rafaele, que tomou espaço na zaga e aumentou a qualidade tanto na marcação, quanto na saída de bola. A zagueira vem dando motivos para se firmar como titular absoluta da posição que por muito tempo foi um problema. Outro destaque foi Marta, que fez se não o melhor, um dos melhores jogos sob o comando de Pia. A aniversariante da semana mostrou porque é a tainha do futebol ao não se intimidar diante das estrelas estadunidenses. Na quarta-feira, a Seleção enfrenta as canadenses, em vusca da reabilitação no torneio