Sylvinho rasga elogios a Cantillo e analisa vitória do Corinthians: “Fizemos por merecer” | OneFootball

Sylvinho rasga elogios a Cantillo e analisa vitória do Corinthians: “Fizemos por merecer”

Logo: Gazeta Esportiva.com

Gazeta Esportiva.com

O Corinthians venceu o Palmeiras na noite deste sábado por 2 a 1, na Neo Química Arena, e Sylvinho viu a pressão sobre o seu trabalho diminuir.

De uma só vez, o Timão acabou com o jejum de vitórias no Campeonato Brasileiro, que era de três jogos, e outro no Derby, que já perdurava sete encontros.

Após o clássico, o técnico corintiano falou com muito gosto sobre o duelo e, obviamente, sobre o desempenho de seus comandados.

“Acredito que foi, pelo menos dos últimos, um dos melhores. Feliz, porque nasci no clube, sei o quanto representa vencer o Derby, e nosso torcedor merece passar bem o domingo, se alegrar, vestir a camisa. Adversário complicado, mas a vitória foi nossa, e fizemos por merecer”.

Durante a entrevista coletiva, Sylvinho não só explicou a opção por usar Cantillo na vaga de Gabriel, suspenso, e por deixar Xavier no banco, como também não poupou elogios ao colombiano.

“Montamos um time para ter posse de bola por dentro e velocidade por fora, com essa intenção, de ter qualidade, saída limpa e usufruir do jogo. Funcionou bem, o Cantillo foi um grande jogador. Não jogava há sete jogos, mas fez 10. Montamos bem e tínhamos a razão de colocá-lo ali, ele deu fluência”.

“O Xavier é um grande jogador, de corte defensivo, tem treinado também como zagueiro, e tem entrado. Hoje, salvou uma bola muito boa, de primeiro pau, perigosa. Faz parte do grupo, tem entrado e sido importante”.

Leia outros trechos da entrevista de Sylvinho:

Escolha por Cantillo, e não Xavier “Nós tivemos uma montagem de equipe, um trabalho árduo, o que nos fez nos mobilizar por um primeiro volante e, na nossa escolha, era o Cantillo, e montamos um time para ter posse de bola por dentro e velocidade por fora, com essa intenção, de ter qualidade, saída limpa e usufruir do jogo. Funcionou bem, o Cantillo foi um grande jogador. Não jogava há sete jogos, mas fez 10. Montamos bem e tínhamos a razão de coloca-lo ali. Deu fluência. Xavier é um grande jogador, de corte defensivo, tem treinado também como zagueiro, e tem entrado. Hoje, salvou uma bola muito boa, de primeiro pau, perigosa. Faz parte do grupo, tem entrado e sido importante”.

Queda na segunda etapa “O jogo foi muito bem disputado, muita qualidade técnica. Um Derby, dos últimos, um dos melhores. Os demais eu tenho visto pela TV, e vi um jogo de muito bom nível, de muita qualidade, taticamente bem jogado, com transições rápidas, opções de gols, jogo atrativo, bonito de se ver. Cantillo fluiu demais nosso jogo, ficou muito bom, e gostamos demais. Acredito que foi, pelo menos dos últimos, um dos melhores. Feliz porque nasci no clube, sei o quanto representa vencer o Derby, e nosso torcedor merece passar bem o domingo, se alegrar, vestir a camisa. Adversário complicado, mas a vitória foi nossa, e fizemos por merecer”.

Pressão por demissão antes do jogo “O trabalho deu resultado positivo, deu três pontos, é um Derby, se vive de uma forma diferente, mas a preparação de trabalho, de horas, como os demais jogos. O Cantillo fez um grande jogo, deu muita fluência. É um atleta que tem uma saída extraordinária, esteve muito protegido pelo o que fizemos como comissão técnica, envolta daqueles cinco homens. Tivemos muita possibilidades de transição e oportunidade de gol”.

Não uso de Piton “As alterações foram muito bem feitas também, era um jogo de alto nível, muito boa a entrada do Gustavo, do Vitinho, Róger faz o gol porque o Jô começou a dar essa referência na frente. Trocas bem feitas, bem aproveitadas, e o time cresceu com as substituições. A do Xavier era mais de sustentação e, sobretudo, em bola aérea. Todos são partes de um elenco, de uma construção, de um grande trabalho e estamos somando nossos pontos. E nosso torcedor tem de estar feliz”.

Primeiro jogo do quarteto e partida de GP “O atleta (GP) é um grande atleta, tem uma capacidade de crescimento, temos de aproveitar o um contra um muito bom dele, a gente vai estudando, buscando a história dos atletas, para eles reproduzirem em campo os conceitos e ideias. Infeliz pela lesão do Roni, outro da base, já entregou gols. O Adson está voltando de lesão, um período inativo. é gostoso trabalhar com esses jovens da base, aquele olho que brilha, e outros que estão no grupo, que já passaram e venceram até Mundial. É muito bom trabalhar com um grupo assim. Estamos trabalhando com brilho nos olhos”.

Mencionados neste artigo
Saiba mais sobre o veículo