Como as criptomoedas estão dando voz aos torcedores dentro dos clubes

Logo: OneFootball

OneFootball

OneFootball

Imagem do artigo: https://image-service.onefootball.com/crop/face?h=810&image=https%3A%2F%2Fwp-images.onefootball.com%2Fwp-content%2Fuploads%2Fsites%2F13%2F2021%2F04%2FWalcott-4-2-1000x666.jpg&q=25&w=1080

Com um mundo vivendo uma espécie de hiato, os torcedores já estão ausentes das arquibancadas há pouco mais de um ano agora.

A presença eventual de público com até 10 mil pessoas já foi vista em alguns estádios, mas não em todos e sem a regularidade que traria de volta aquele sentimento de viver a experiência de um jogo na tarde de domingo com o estádio lotado.

Em quase todos os lugares do mundo, a essência do jogo está na torcida. E é justamente isso que está ausente do futebol no momento. Esta situação virou um desafio para todas as equipes, das gigantes até as menores.

Os jogadores tentam, com todas as forças, manter a empolgação enquanto jogam para arquibancadas vazias. Já os que trabalham para transformar as partidas em um bom entretenimento, sofrem com a ausência total de público.

Em resumo, tem sido um período de testes para todos aqueles envolvidos no jogo, mas para algumas equipes esse desafio levou a soluções revolucionárias, com novas formas de trazer o futebol de volta aos torcedores, virtualmente.


O Southampton FC, junto com o patrocinador master Sportsbet.io, encontrou uma forma de oferecer soluções digitais aos torcedores como parte da parceria em dias de jogos, não importando se eles moram na Inglaterra ou na distante África do Sul, por exemplo.

O Estádio St. Mary’s deveria tremer com o barulho de 32.500 pessoas na abertura da Premier League, mas apesar de as arquibancadas estarem vazias para quem acompanhou pela televisão, os torcedores estavam lá, você apenas não os viu.

Vários influencers importantes receberam carteiras de Bitcoins que foram usadas para construir a própria experiência VIP deles, em casa.

Os seguidores desses influencers foram convidados a votar para escolher as melhores soluções, de passeios virtuais pelo estádio com uma lenda do clube até um assento na primeira fileira no centro de treinamento.

“É um prazer estar envolvido nesse trabalho em andamento e queremos garantir que o maior número possível de torcedores vivam a nostalgia do St. Mary’s”, explica David Thomas, diretor comercial do Southampton FC.

Essa inovação coloca os torcedores no centro da ação, desde o vestiário até os bancos de reservas, a realidade virtual está permitindo que os fãs vivam aquilo que eles desesperadamente sentem falta: a magia do dia do jogo.


A realidade virtual é apenas uma das muitas maneiras pelas quais times de várias partes do mundo tem levado o que acontece no campo para a casa dos torcedores, como explica Tom Barrett, chefe de parcerias do Southampton.

“Nós tentamos pensar fora da caixa e encontrar experiências que ajudassem a trazer um pouco os fãs de volta ao estádio neste que tem sido um ano difícil para todos os torcedores de futebol”.

“Estamos muito satisfeitos com o trabalho que realizados nos últimos 12 meses e com engajamento em novos formatos de conteúdo que trouxeram os torcedores mais perto do que acontece no Estádio St. Mary’s, incluindo a votação do Player of the Match, pré-jogo ao vivo e eventos para os fãs assistirem às partidas”.


As criptomoedas se tornaram um fenômeno global nos últimos seis meses, e o futebol as adotou como uma forma de aumentar e estimular o engajamento dos torcedores.

Do campeão inglês Manchester City, ao Bayern de Munique, passando pela gigante italiana Juventus, os tokens dos torcedores estão mudando a forma com que os fãs interagem.

Iniciativas como as escolhas do próximo uniforme principal e secundário da equipe, até que música será tocada depois de marcar um gol, estão disponíveis para usuários de criptomoedas e torcedores que têm os tokens.

Novamente esse processo não é limitado geograficamente. Você é um torcedor que mora do lado da arquibancada principal ou vive tão longe que é preciso acordar às 2 da manhã para assistir aos jogos?

A resposta simplesmente não importa. A globalização e a digitalização estão trabalhando juntas nesse mercado que movimenta quase 300 milhões de libras por ano.

As criptomoedas e os tokens digitais rapidamente estão se tornando ferramentas poderosas para os torcedores e clubes. Os ingleses querem promover esse tipo de envolvimento e experiência com os fãs apaixonados.


Um clube que tem trabalhado muito duro para formar essa união é o Watford. Esse clube de uma pequena cidade inglesa na região de Hertfordshire tornou-se um gigante global na quebra de fronteiras dos formatos tradicionais.

Como o Southampton, os “Hornets” são parceiros da Sportsbet.io na campanha “Know No Borders” (Não conheço fronteiras, na tradução livre), que tem uma mensagem simples.

Não importa o país em que você mora ou a moeda com a qual está acostumado, o Watford é globalmente acessível, principalmente por ter Bitcoin como patrocinador.

O uso de criptomoedas dá aos fãs o direito de obter mercadorias exclusivas, oportunidades de fazer ofertas pelos espaços publicitários nos painéis de LED ao lado do campo e, quando as coisas voltarem ao normal, acessar os assentos VIP durante as partidas.

As criptomoedas são mais baratas, mais seguras e mais rápidas que qualquer outra forma de pagamento online. As taxas de processamento associadas a empresas como Bitcoin ou Litecoin eliminam os estornos do cartão de crédito ou pagamentos fraudulentos.

Mas é o engajamento dos fãs que marca como as criptomoedas e os tokens são uma virada total do jogo e nas formas como clubes e seguidores apaixonados interagem.


PUBLIEDITORIAL: este artigo é parte de uma série de quatro textos criada em parceria com Sportsbet.io